Tipos de transmissões fisicas de dados

6 11 2009

Resumo:

-> Quanto ao numero de bits transmitidos em simultâneo

-> Quanto ao sentido em que a informação pode ser transmitida

-> Quanto a quantidade de emissores e receptores

-> Quanto a largura de banda

-> Quanto ao sincronismo emissor-receptor


Largura de Banda


A Largura de Banda ou Bandwidth (termo original em inglês) é a medida da capacidade de transmissão de um determinado meio, conexão ou rede, determinando a velocidade que os dados passam através de desta rede especifica. A Largura de Banda é medida em bits e não em bytes, os quais determinam a medida de capacidade de um determinado meio de transmissão por uma certa unidade de tempo (8 bits = 1 byte). Todas as medidas de Largura de Banda são basicamente feitas em bits por segundo, ex.: Kbits/seg ou Mbits/seg. e em alguns caso também é relacionada a faixa de freqüências, para o caso da medida de largura de banda para sinais analógicos.

Podemos fazer uma comparação com um cano de água, onde se temos muita água para passar pelo cano e o cano for fino, o tempo para a quantidade de água passar será muito grande. Se trocarmos o cano fino por um cano grosso vai levar muito menos tempo para a toda a água passar, ou seja temos uma limitação da quantidade de água que flui pelo cano por determinada unidade de tempo de acordo com a bitola (grossura) do cano.

Podemos ainda dar outro exemplo: se tivermos paralelamente uma auto-estrada com 4 pistas e uma pista de mão única; e forem trafegar a mesma quantidade de carros na auto-estrada e na pista única todos desenvolvendo a mesma velocidade, obviamente teríamos um tempo máximo para um determinado percurso 4 vezes maior para os veículos na pista simples.

Menor Banda

Menos Carros Passando por unidade de tempo.

Maior Banda

Mais Carros Passando por unidade de tempo.

Em transmissão de dados temos uma situação similar, onde temos diversos tipos de meios de transmissão, cada um com uma largura de banda específica de acordo com suas características construtivas, um cabo coaxial por exemplo tem uma largura de banda da ordem de 5Mbits/seg ou 5MHz. Já uma fibra ótica tem normalmente uma largura de banda da ordem de 200 a 10Gbits/seg., isso signifca que é possível trafegar muitas vezes mais dados em uma fibra ótica do que em um cabo coaxial por exemplo.

A largura de banda muitas vezes é responsável pela limitação da taxa de transmissão em sistemas de vídeo e comunicação de dados. Por exemplo uma conexão discada de 56k é limitada pela largura de banda da linha telefônica, que por sinal é muito estreita se comparada com uma conexão ADSL.

A largura de banda depende estritamente do meio de transmissão e na prática o meio de transmissão com maior largura de banda atualmente é a fibra-ótica.

Voltando ao exemplo do cano, é perfeitamente suficiente para uma residência a utilização de um cano fino, mas se precisarmos fazer a distribuição para um condomínio ou para uma fábrica, não poderemos usar o mesmo cano pois ele não comportaria tal fluxo de água, a solução é bastante simples e óbvia: utilizar um cano com bitola maior.

Em transmissão de dados também seguimos o mesmo princípio se tivermos uma necessidade de uma maior quantidade de dados trafegando teremos que escolher uma conexão ou meio de transmissão com maior largura de banda (capacidade).

A largura de banda tem duas visões básicas distintas: Uma para sistemas analógicos e outra para sistemas digitais.


Transmissão por difusão


Numa transmissão por difusão (broadcast), um dispositivo emite para um conjunto de dispositivos receptores, seja através do espaço (como acontece na radiodifusão), seja através de um cabo (como acontece em grande parte das redes locais de computadores).
Numa transmissão ponto-a-ponto, as mensagens são transmitidas de um ponto (emissor) para outro ponto (receptor). Estas comunicações podem ocorrer de forma sequencial entre computadores ligados em rede. nestes casos o receptor de uma mensagem pode não ser o seu destinatário, mas apenas um ponto de passagem de mensagem; então, esta terá de ser reenviada para o próximo nó da rede, no sentido do seu destinatário final. esta forma de comunicação verifica-se em muitas redes de computadores, sobretudo WAN, como é o caso da Internet.


Transmissões Síncronas e Assíncronas


Uma transmissão é síncrona quando, no dispositivo receptor, é activado um mecanismo de sincronização relativamente ao fluxo de dados proveniente do emissor. Este mecanismo de sincronização é um relógio (clock) interno no dispositivo de recepção (por exemplo, modem) e determina de quantas em quantas unidades de tempo é que o fluxo de bits recebidos deve ser segmentado, de modo a que casa segmento assuma o mesmo tamanho e formato com que foi emitido.
Uma transmissão assíncrona quando não é estabelecido, no receptor, nenhum mecanismo de sincronização relativamente ao emissor e, portanto, as sequências de bits emitidos têm de conter em si uma indicação de inicio e do fim de cada agrupamento; neste caso, o intervalo de tempo entre cada agrupamento de bits transmitidos pode variar constantemente (pois não há mecanismo que imponha sincronismo) e a leitura dos dados terá de ser  feita pelo receptor com base unicamente nas próprias sequências dos bits recebidos.

Ações

Information

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: